PiMed

Matérias

Gostei

A osteoartrose é um reumatismo?

Sim, a osteoartrose é o tipo mais comum de reumatismo, que acomete cerca de 10% da população e é responsável por aproximadamente 40% das consultas realizadas pelos reumatologistas.


É uma doença apenas da articulação (também chamada junta). As enfermidades articulares ou “reumatismos” agrupam um grande número de doenças que evoluemcom dores e inflamações de caráter agudo, subagudo ou crônico, muitas vezes cíclicas ou recidivantes.



O que a osteoartrose afeta?
Para que se entenda o tipo de lesão que ocorre na osteoartrose, é interessante entender inicialmente o que é uma articulação. É a parte do corpo que liga dois ossos e permite a realização de movimentos. As superfícies dos dois ossos que se aproximam são revestidas por um tecido denominado cartilagem articular hialina, cuja função é evitar o atrito de um osso contra o outro e amortecer o impacto produzido pelo movimento ou pelo o esforço, facilitando o deslizamento das extremidades ósseas. 

Uma sobrecarga inadequada neste tecido determina o aparecimento de uma lesão cartilaginosa inicial. É interessante esclarecer que a cartilagem é alimentada e lubrificada pelo liquido que existe dentro da articulação, que se denomina líquido sinovial. Todo este conjunto de elementos é envolvido por ma membrana resistente chamada de cápsula articular. A osteoartrose ou artrose é a doença relacionada com a lesão degradativa (alguns falam em degenerativa ) da articulação articular.



Quem pode sofrer de osteoartrose?
Qualquer pessoa, de ambos os sexos, pode ser portadora de osteoartrose. No entanto, nota-se nítido predomínio no sexo feminino, na época da menopausa, iniciando seus sintomas geralmente entre 45 e 50 anos de idade. Nos indivíduos do sexo masculino, o aparecimento dos sintomas da doença se dá um pouco mais tarde, em torno dos 60 anos. Entretanto, esta forma de osteoartrose que atinge pessoas adultas pode, em certas condições, começar mais precocemente, por volta dos 30 anos, embora sua incidência aumente com a idade (não deve ser considerada doença do idoso). Ela é classificada como osteoartrose primária, comprometendo articulações até então consideradas normais.

Existe outro tipo de osteoartrose, chamada secundária, que aparece em qualquer idade (geralmente nos mais jovens), ocorrendo em articulações previamente lesadas por outras doenças articulares ou endócrino-metabólicas, por traumas ou por defeitos congênitos da articulação.

Quais as articulações mais comumente lesadas pela osteoartrose?
As mais comuns são: articulações dos dedos das mãos, da coluna vertebral (em particular a coluna cervical e a lombar)e aquelas que suportam o peso do corpo, como os quadris, joelhos e pés.


osteoporose é hereditária?
Algumas evidências de vários estudos nos últimos anos vêm confirmando a provável participação genética/hereditária nesta doença. Isto significa que o paciente pode ter um terreno herdado de maior suscetibilidade para desenvolver a osteoartrose. Observa-se na prática reumatológica, com grande frequência, que os indivíduos com artrose nodal das mãos (forma nitidamente familiar) também mostram comprometimento concomitante de outras articulações, como as dos joelhos e dos quadris.
 


Quais são os sintomas principais da osteoporose?
A principal manifestação clinica da osteoartrose é a dor articular. Além disso, por ser a osteoartrose uma doença crônica de evolução lenta, seus sintomas iniciais desenvolvem-se de forma discreta e mal definida, passando despercebidos na maioria das vezes. Neste inicio, a dor pode se manifestar como um “dolorimento” articular de curta duração, ou como a sensação de juntas “pesadas” ou ainda como uma “agulhada” ou “ferroada” passageira. 

Essa sensação dolorosa melhora com o movimento, com tratamentos caseiros ou mesmo espontaneamente, razão pela qual a grande maioria das pessoas não lhe dá a devida importância. À medida que o acometimento evolui, os episódios dolorosos se repetem com maior intensidade e duração, tornando-se nitidamente relacionados com o início do movimento articular (ao levantar-se de uma cadeira, por exemplo).

Nos casos mais avançados há perda total da cartilagem articular, situação que favorece o contato íntimo e o atrito de uma extremidade óssea contra a outra, determinando o aparecimento de dor intolerável ao mais leve movimento, deformidade e endurecimento da junta comprometida, que perde a mobilidade parcial ou total mente. O enrijecimento articular pós-repouso ou matinal é comum e de curta duração (no máximo 30 minutos, quando o caso não for mais severo). 

Outros sintomas clínicos da osteoartrose, que podem aparecer tanto no inicio quanto em formas mais avançadas, são: aumento de volume, inchaço ou intumescimento das juntas afetadas, que podem ser temporários após o repouso ou ao acordar, calor local e, muitas vezes sinais de crepitação articular (ruído que aparece ao movimento, como se houvesse areia ou pedras dentro da junta). No comprometimento da coluna vertebral (principalmente cervical e lombar), a dor pode ser local ou irradiada (para o braço- cervicobraquialgia ou para a perna- lombociatalgia) por compressão das raízes nervosas. A osteoartrose cervical pode ocasionar sintomas neurológicos, digestivos e labirínticos, como tonturas e perda de equilíbrio. 

É importante informar que a presença de sinais radiográficos de osteoartrose vertebral não significa que o paciente tenha obrigatoriamente qualquer sintoma, ou o que ele está sentindo esteja definitivamente relacionado com esses achados.

Autor(es):
Dr. Lafauette Lage

 

ÚltimasMatérias